Amazon e Ring fazem acordo milionário com FTC por violações de privacidade

Governança, Risco e Compliance

Amazon e Ring fazem acordo milionário com FTC por violações de privacidade

Amazon concorda em pagar 25 milhões de dólares por violações de privacidade com Alexa, enquanto Ring desembolsa 5,8 milhões de dólares por manuseio de vídeos.

A Amazon e sua subsidiária Ring fecharam acordos separados com a Comissão Federal de Comércio dos EUA (FTC) relacionados a violações de privacidade envolvendo crianças que utilizam a assistente virtual Alexa e proprietários de residências que usam a câmera de segurança Ring. Nesta quarta-feira (31/5), a Amazon concordou em pagar 25 milhões de dólares para solucionar as acusações de desrespeito aos direitos de privacidade das crianças por não excluir gravações da Alexa quando solicitado pelos pais e por armazená-las por mais tempo do que o necessário, conforme um processo judicial em um tribunal federal de Seattle.

Em comunicado, a Amazon declarou: “Embora discordemos das alegações da FTC em relação à Alexa e à Ring e neguemos a violação da lei, esses acordos deixaram essas questões para trás”. A empresa também se comprometeu a implementar mudanças em suas práticas.

Já a Ring concordou em pagar 5,8 milhões de dólares por manusear de maneira inadequada os vídeos dos clientes, conforme outro processo no tribunal federal do Distrito de Columbia. A queixa da FTC contra a Amazon apresentada no estado de Washington, afirmou que a empresa desobedeceu às regras de proteção à privacidade das crianças e às normas contra a enganação dos consumidores que usam a Alexa. A reclamação da comissão apontou que a Amazon informou aos usuários que apagaria transcrições de voz e dados de localização mediante solicitação, mas não o fez.

Além disso, a FTC alegou que a Ring permitiu que seus funcionários tivessem acesso irrestrito aos dados de vídeo confidenciais dos clientes e, como resultado desse amplo acesso e negligência em relação à privacidade e segurança, funcionários e terceirizados puderam visualizar, baixar e transferir dados sensíveis de vídeo dos clientes para seus próprios objetivos.

Fonte: EM – Redação

Avatar IBDCNI

Escrito por

IBDCNI

Instituto

Instituto Brasileiro de Direito, Conformidade e Normas Internacionais.