Caso Americanas, o tema governança corporativa voltou a ganhar destaque nas empresas

Governança, Risco e Compliance

Caso Americanas, o tema governança corporativa voltou a ganhar destaque nas empresas

Procedimento contribui para evitar inconsistências contábeis nos balanços

Após o anúncio de incoerências no balanço da Americanas, o tema governança corporativa voltou a ganhar destaque nas empresas. Adoção de práticas de governança representa uma maior transparência na gestão de uma organização, expondo a integridade ética, a equidade, a responsabilidade administrativa, o senso de justiça e a exatidão na prestação de contas (accountability) – pontos estes que parecem não estarem claros no caso da varejista.

De acordo com Marco Oliveira, especialista em gestão estratégica de negócio com foco em Go-To-Market e sócio-fundador da O4B, empresa especializada em consultoria e soluções corporativas, é evidente que também se deve analisar a cultura de cada empresa e considerar os desafios para a criação de uma estratégia. “Além de gerenciar novos riscos e se preparar para o futuro com um sólido planejamento, criando um verdadeiro diálogo e estabelecendo um relacionamento com colaboradores, parceiros, acionistas, investidores e clientes”, pondera.

Pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje), mostra que um dos maiores riscos de governança corporativa para as empresas entrevistadas está na falta de comunicação (59%) e de clareza (50%) na comunicação com seus públicos de interesse (stakeholders). Além disso, a demora na divulgação de informações relevantes (37%) e a falta de divulgação de prevenção, detecção e resposta de riscos de compliance (35%) também foram apontados pelos respondentes.

“Acredito que a transparência constante das decisões a serem tomadas e a prestação de contas, que deve incluir responsabilidades financeiras, são essenciais para qualquer empresa, pincipalmente para àquelas de capital aberto, como no caso da varejista. Dar a devida atenção, seriedade e profissionalismo a estes pontos, é um grande passo para fortalecer os laços entre as partes interessadas, garantindo que todos os envolvidos com a companhia não sejam pegos de surpresa”, ressalta.

O executivo destaca ainda que a governança corporativa é a chave para criar confiança e mudar a maneira como todos enxergam o seu negócio, além de evitar inconsistências contábeis nos balanços. “Reforço, que toda e qualquer empresa deve estar atenta a esses pontos, desde o pequeno negócio, que quer sobreviver e crescer em um mercado cada vez mais competitivo, até as grandes corporações”, finaliza.

Fonte: Reportagem SA Varejo 

Avatar IBDCNI

Escrito por

IBDCNI

Instituto

Instituto Brasileiro de Direito, Conformidade e Normas Internacionais.