O impacto da Covid-19 na saúde mental dos trabalhadores

Auditoria

O impacto da Covid-19 na saúde mental dos trabalhadores

A COVID-19 devido sua transmissão generalizada foi reconhecida pela Organização Mundial da Saúde como uma pandemia. As consequências não se limitam à infecção e demais doenças correlatas. Considerando sua ressonância em diferentes contextos, os impactos psicossociais e econômicos podem ser incalculáveis.

Durante as epidemias, o número de pessoas com a saúde mental afetada tende a ser maior que o número das afetadas pela infecção, e esta pode perdurar mais e ter maior prevalência que a própria epidemia. A doença mental envolve interações entre fatores biológicos e sociais e, neste momento, os fatores sociais atuam como fortes estressores e consequentemente desencadeadores e motivadores de episódios depressivos e ansiosos, entre outros distúrbios.

Neste cenário, temos o trabalho e o ambiente de trabalho, considerado um valor fundamental do ser humano e essenciais para a saúde mental. A construção do sentido de propósito, recursos financeiros, identidade, sensação de pertencimento a organização são sentimentos que promover o bem-estar psíquico e extrapolam as fronteiras da saúde e adentram o cenário econômico.

A busca pela manutenção do bem-estar dos trabalhadores visa garantir continuidade, produtividade, sustentabilidade e lucratividade dos negócios, que dentro da cadeia produtiva se reflete em maior produção e ganhos para as empresas e para o país.

Neste momento, os trabalhadores podem experimentar mais insegurança no emprego e a percepção de uma carga de trabalho aumentada, podem ainda receber menos apoio social de seus colegas, enfrentar o medo da infecção, a solidão e o estigma (no caso dos que estão na linha de frente e dos tidos como “grupo de risco”), podem estar trabalhando como novas modalidades de trabalho, para as quais não se sentem capacitados, por fim, podem estar passando por dificuldades ou até mesmo terem perdido seus empregos.

Realizar a atenção primária em relação a saúde mental, ainda mais em tempos de pandemia é muito difícil, nossa maior atuação nesse momento deve ser na prevenção secundária e terciária, portanto precisamos desenvolver em nossos funcionários e em nós mesmos as estratégias de enfrentamento e preparar as empresas e os trabalhadores para esse novo cenário mundial que se apresenta.

Fonte: Dra. Letícia Maria Akel Mameri

Avatar IBDCNI

Escrito por

IBDCNI

Instituto

Instituto Brasileiro de Direito, Conformidade e Normas Internacionais.

Newsletter

Receba nossas
novidades e conteúdos

Preencha seus dados